terça-feira, 27 de outubro de 2015

Liberdade, libertinagem e a pura falta de respeito pelo bem estar alheio.

Liberdade, libertinagem e a pura falta de respeito pelo bem estar alheio.

É muito comum alguns indivíduos verem-se a si próprios como os descobridores do caminho marítimo para índia, quando este até já foi descoberto há mais de quinhentos anos e já está mais do que batido.

Sucede que estes ditos audazes, não distinguem liberdade, libertinagem e a pura falta de respeito pelo bem estar alheio.

Estas impetuosas almas livres, não percebem o que é a liberdade dos outros para que possam refrear a sua ansiedade de “comer o mundo” e de atropelar deliberadamente quem tranquilamente também faz e tem a liberdade de fazer o seu próprio caminho.

Muitos destes salafraios, roçando ao mentecapto fazem da vida um jogo de xadrez mal jogado e rogam pragas quando apanham um valente xeque-mate, quando em princípio estes acham sempre que tudo que é peão, serve para mandar para o campo de batalha.

O pior, é que é um batalha sem moral, uma batalha sem ideais. O pior é que é uma batalha simplesmente pelo ânimo de batalhar, pois o ócio são as mãos do diabo e estes indivíduos na sua ociosidade acabam por descarrilar no negro caminho do conflito e sempre a acharem que estão a fazer o bom uso do seu livre arbítrio, fazendo-se valer da sua liberdade de escolha por direito, da sua libertinagem por acréscimo e da cegueira que lhes leva a pura falta de respeito pelo bem estar alheio.

A estes energúmenos nunca lhes foi ensinado, em paralelo as liberdades que lhes foram dadas de bandeja, nunca lhes foi ensinado que um grande poder, obriga-nos a uma grande responsabilidade e a liberdade é poder. A liberdade é poder, digam-nos os escravos acorrentados, as mulheres sem emancipação e as crianças sem o poder de decisão. A liberdade é poder e esse poder deve ser responsável. Deve ser um poder responsável também pela liberdade dos outros. Deve ser um poder responsável pelas escolhas que nos permite ter libertinagem. Deve ser um poder responsável pelo respeito que não se deve perder pelo bem estar alheio.

Ser livre e libertino não implica atropelar a liberdade e libertinagem alheias. Há limites, pois o ser livre, limita a sua liberdade e libertinagem a uma área que não provoque maleitas, confusões e problemas aos demais.

Realmente e isso para os verdadeiros audazes, escolhas pessoais e estritamente individuais podem ser sentidos como sarna para os outros se coçarem, mas voltando a vaca fria, quem se coça pelo que não lhe diz absolutamente nenhum respeito e não lhe afeta o seu modo de viver, então não passa de mais um destes energúmenos, salafraios, roçando ao mentecapto, que não distingue liberdade, libertinagem e a pura falta de respeito pelo bem estar alheio.

Redacção e locução de Mel Gambôa para o programa "Amanhã é Outro Dia" de Paulo Araújo na LAC - Luanda Antena Comercial 95.5 FM


Sem comentários:

Enviar um comentário