terça-feira, 27 de outubro de 2015

Macacadas (crónica relativa a campanha #somostodosmacacos)

Desde que o jogador de futebol Mario Balotelli pisa num campo que é alvo perfeito dos adeptos que fazem mira com bananas. Bananas verdadeiras, balões em forma de bananas, peluches de banana tudo é motivo para chamaram até a exaustão o jogador do Inter de Milão de macaco. Por alguma razão especial e pelo facto do jogador de futebol o brasileiro Daniel Alves em vez de se enfurecer , ter comido a banana, se gerou uma onda entre aspas revolucionaria relativamente ao assunto e o slogan do momento é “somos todos macacos” anexado de uma auto-imagem com uma banana a posar junto ao rosto ou a ser comida. Wow, não fosse a diferença física bastante relevante entre ambos jogadores já mencionados, eu diria que ou o mundo está cada vez mais perdido e inclusive com isso muitos criadores de opinião ou ainda se irão levantar os macacos e encher os seres humanos com montes de tabefes de tanta estupidez.

Estupidez sim, porque é tanto grito anti-racista, mas que em nenhum momento ao longo de anos,  foi sentido relativamente a Balotelli e a muitos outros jogadores negros alvos de ataques racistas.

E o movimento anti-racista, não é coisa do vigésimo primeiro milénio, nem muito menos pertence a febre das redes sociais. Contudo quando a palhaçada é boa parece que ninguém hesita em atirar-se a ela.

É que é tanta gente socialmente consciente que não vejo selfies em lado nenhum ou ao menos o mesmo entusiasmo, talvez menos, no que realmente deveria ser digno de tanto fusoé. Quando 276 meninas entre os 12 a 17 anos foram raptadas na Nigéria e vozes se erguem culpando o Governo Nigeriano por fazer ouvidos de mercador, mas em nada se compara a campanha somos todos macacos.

Se somos todos macacos, então e sem querer estragar a festa a ninguém, sejamos todos macacos contra a brutalidade com que as mulheres são consecutiva e sucessivamente tratadas no médio oriente e no centro de Africa pelos islamicos extremistas.

Se somos todos macacos e tanto gostamos de bananas, vamos gritar de uma vez contra a companhia de Monsanto os seus alimentos, incluindo as bananas transgénicas e altamente poluídas e apoiar o desenvolvimento de um cultivo natural e mais saudável que não vê escoamente das suas fazendas porque são ofuscados pelas multinacionais que que vendem o produto a custo de produção.

Oooops, esqueci-me, os macacos não falam, quanto muito os papagaios que se limitam a imitar sons. E eu me pergunto e onde foram parar os seres humanos, supostamente homo SAPIENS SAPIENS que julgo eu que teriam melhor habilidade de a todos os níveis revoltar-se e tomar uma postura unilateral e de união total contra o que realmente deveria ser condenado que é o extermínio paulatino da raça humana?!

Já que anda o mundo cheio de macacos porquê que essa histeria colectiva não resulta num chamado de emergencia ao control de pragas para atirar uns quantos tranquilizantes a tanta macacada junta.

Não, não que estou eu para aqui a dizer, no fundo o que vale mais e fica bem na fita, é posar com uma banana.

Redação e Locução de Mel Gambôa para o programa "Amanhã é Outro Dia" de Paulo Araújo na LAC - Luanda Antena Comercial 95.5 FM



Sem comentários:

Enviar um comentário