terça-feira, 27 de outubro de 2015

Sobre Feminismo

Apesar do enorme esforço feito por algumas pessoas no mundo para desvirtuar o conceito de FEMINISMO é importante frisar continuamente que feminismo NÃO é o oposto do machismo, nem uma forma de o igualar no sentido inverso.

 Portanto se acreditas que:

 - A mulher tem o mesmo direito que o homem de estudar, ter uma profissão, fazer o seu próprio negócio, viajar sozinha, escolher por si a pessoa com quem se quer casar, ter carta de condução, conduzir, ter casa própria, viver sozinha, ter filhos quando ela achar que os deve então este já é um passo de que pensa como feminista.

 Se acreditas que: 

 - Como mulher que tens liberdade de expressão, capacidade profissional para ganhar tanto quanto um homem no mesmo posto e categoria de trabalho, direito a votar nos teus dirigentes, direito a falar porque te apetece, direito a sair com amigos e amigas seja de dia ou de noite e para onde quiseres, direito a viajares sozinha, direito a teres o teu próprio dinheiro, direito a pensares por ti e direito a partilhares esses pensamentos, direito a fazeres as tuas próprias escolhas, direito a tudo que o mundo te pode oferecer, então isto já é uma attitude feminista.

Se acreditas que:

- A mulher não é igual ao homem, mas que perante a lei ela responde de igual maneira seja como corrupta, como homicida, como ladra, como fraudulenta, Que ela deve pagar impostos, taxas, dívidas tal como qualquer homem com compromissos financeiros, então sendo isso uma forma de igualar direitos a conclusão é que quem acredita nisso é feminista.

Daí que se acreditas nisto tudo e ainda achas que não és feminista, podes tirar o cavalinho da chuva pois: Feminismo é um movimento social, filosófico e político que tem como meta direitos equânimes (iguais) e uma vivência humana liberta de padrões opressores baseados em normas de gênero. E ser feminista é ser uma pessoa partidária do feminismo (sem por isso precisar de levantar bandeiras ou lutar contra quem opina de forma diferente). Caso isso lhe pareça confuso, pense lá se a conotação ao feminino não estará gravada no seu âmago como algo negativo.

Relembrar que até finais dos anos 1970 em muitos países do mundo (inclusive em alguns países em pleno século 21) as mulheres: não podiam ter outras profissões que não fossem enfermeira ou professora, não podiam viajar sozinhas e sem autorização do seu pai ou do seu marido, não podiam viver sozinhas sem serem conotadas de prostitutas, não podiam ter o seu próprio negócio ou fonte de rendimento sem ser por conta do pai ou do marido, não podiam estudar nem exercer profissões tidas como masculinas tais direito, economia, política, engenharia e por aí vai, não tinha direito sequer a propriedade própria tais como casa e carro sem ao menos aval do pai ou do marido.

Sim sim houve raras excepções de uma ou duas mulheres nos anos 20, 30,40, 50, 60 e 70 a serem distinguidas em áreas predominantemente masculinas, mas o que são uma ou duas mulheres num planeta de quase 7 BILHÕES de habitantes em que elas até estão em maioria.

Para as pessoas (principalmente mulheres) que acham que não são feministas, mas que dizem acreditar  em DIREITOS IGUAIS, mas não acreditar no FEMINISM. Pensem novamente.


Redação e Locução: Mel Gambôa para o programa "Amanhã é Outro Dia" de Paulo Araújo na LAC - Luanda Antena Comercial 95.5 FM

Sem comentários:

Enviar um comentário