sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Posicionamento socio-político exclusivamente feminista - Mel Gamboa

No dia 2 de Novembro lancei um vídeo no Facebook em que me posicionava únicamente como activista feminista por perceber que independentemente dos lados políticos da circunstância política-social de Angola as vozes das mulheres são sempre silenciadas, as nossas queixas são vistas como exagero e quando somos assediadas fisica ou virtualmente anulam e diminuem as nossas queixas como se de nada se tratasse.

A violência contra mulheres e meninas deve ser eliminada de todos os quadrantes, seja através do idioma, através das relações inter-pessoais e seja da visão global sobre papeis de género em particular da mulher.

Ao cortarem o video original que mais facilmente viralizou, descontextualizaram propositadamente o meu discurso e vão interpretar como um ataque as pessoas a quem me alinho ideologicamente por justiça social e demandas de equilíbrio económico e político e dão a ideia falta de posicionamento.

Eu concluí no vídeo que me passaria a posicionar exclusivamente numa luta feminista em prol das mulheres. E justifico porquê dando detalhes.

Lembrar que machismo é uma idea que se manifesta em múltiplas formas, já o mau caracter somado ao machismo faz da masculinidade um factor de opressão contra mulheres nos mais diferentes níveis.

Veja na íntegra, são 15 minutos e 24 segundos.

É possivel as pessoas tomarem posicionamentos socio-politicos diferentes sem se matarem e em prol do bem comum, devemos recordar que homens e mulheres temos pautas diferentes numa mesma sociedade e no caso das mulheres a luta é bastante específica.

Este é o vídeo original publicado pela segunda vez e pela primeira vez fora da rede Facebook por mim como autora.


O machismo é uma ideia global, reflectida na socialização masculina dos homens (masculinidade) e na socialização feminina das mulheres (feminilidade).


Como tudo na vida existem pessoas diferentes entre si em que os vícios capitais de caracter, são ampliados pela forma com que cada pessoa se adequa ao género.

Muitos homens reivindicam não serem machistas por isso, pois associam o machismo ao mau caracter. E a minha insistência se deve a necessidade de questionarem, mas não, como bons machistas o que uma mulher diz ou é loucura ou é exagero ou é falta de homem … 

Caracter é uma característica humana. Portanto as suas nuances em cada pessoa associada ao papel de género masculino condicionado aos homens, (sendo estes privilegiados do sistema), faz com que homens no seu conjunto e pela absurda maioria de agressões practicadas por pessoas do sexo masculino contra mulheres e meninas sejam conotados como maus, potenciais agressores e estupradores, ainda que sejam homens decentes.

O que faz o machismo ser associado a ser má pessoa (homem) é o caracter de extrema violência de alguns homens que é sustentada pela ideia de que "homens são mesmo assim", ou "só está a ser homem".

Portanto não é que alguns homens sejam machistas, todos são machista só que uns mais mau caracter que outros e esse comportamento se reflete como agressão a mulher pois a ideia do machismo é que mulheres são inferiores aos homens.

Portanto a premissa de que todos os homens são machistas temos desde os agressores sexuais, aos agressores morais e fisicos, aos agressores por cumplicidade com os agressores e os omissos. Contudo TODOS lidam entre si num modo de cumplicidade e fraternidade masculina que contrasta a rivalidade feminina fomentada pelo machismo.

O Luaty Beirão é uma pessoa de um carácter impecável, de uma sensibilidade única e de um coração enorme e foi preciso muito diálogo e uma humildade inegualável da parte dele para perceber que quando uma mulher é sistematicamente silenciada, é machismo. Esse silenciamento se caracteriza do seguinte modo: estás a exagerar, não é bem assim, estás a ver machismo onde não há… isso TAMBÉM É MACHISMO.

Uma das características transversais a todos os homens e machistas é a falta de empatia e silenciamento das mulheres. Escutem as mulheres e quando o fizerem questionem porquê que a vossa masculinidade tanto depende da resignação das mulheres condicionadas a feminilidade.

Precisamos de evoluir!


Neste link poderão escutar o áudio de uma entrevista em que o discurso é o mesmo e sempre na mesma linha de pensamento: http://www.voaportugues.com/content/angola-fala-so-mel-gamboa-feminista-louca-incomoda/3029446.html

Sem comentários:

Enviar um comentário