sexta-feira, 28 de julho de 2017

A agenda patriarcal da transgeneridade.

Não me identifico com género nenhum, tanto que uso arbitrariamente a palavra mulher e a frase <<pessoa com vagina>>, já que a palavra mulher que sempre foi a definição de quem nasceu com vagina, hoje tem duplo sentido em que existe toda uma definição e construção de signos e significâncias relativas ao papel de género (mulher) imposto a quem nasceu com vagina.

Toda a teoria pós-moderna da transgeneridade tem como fim único desfazerem o movimento feminista em pedaços com as pseudo facções, em que homens e sentimentos são mais importantes e quando as/os ignorantes de plantão que apoiam historicamente tudo que requeira a eterna devoção feminina, qualquer reivindicação das pautas hoje reconhecidas como pautas feministas não serão mais do que a mesma psicadelia rotulada nas pessoas transgeneras mas que por "algum motivo" o patriarcado não está tão desconfortável com isso.

A ideia é voltarem a encarcerar a fêmea humana em hospícios como louca se desta vez não se identificar com o papel biológico assignado defendido não mais pela religião (hoje somos cada vez mais ateias no mundo) e sim por uma suposta ciência, é para aí que a transgeneridade avança.

Ou seja por cada avanço das mulheres, o patriarcado não dorme, graças a internet poderíamos nos articular melhor, mas a preguiça, parasitismo e papagaísmo reinam.

Mas a resistência será sempre resistência.

#resistênciafeminista #feminismosim #transgeneridade #aboliçãodogénero #morteaopatriarcado

Sem comentários:

Enviar um comentário