domingo, 16 de julho de 2017

Todos os homens são machistas sem excepção e porquê que praticamente a total maioria se ofende como isso?

<<Todos os homens são machistas sem excepção>> e porquê que praticamente a total maioria se ofende como isso?

Porque a identidade dos homens como pessoa está fundida (a força) a masculinidade com que foram socializados com base nas ideias patriarcais sobre o que é ser homem e o seu papel social, biológico e cultural.

E não pensem que isso é uma coisa exclusiva do homem, mulheres também somos socializadas com base na feminilidade fundamentada nas ideias patriarcais sobre o que é ser mulher e o seu papel biológico, social e cultural.

Masculinidade e feminilidade não existem uma sem a outra, são inter-dependentes, mas são conceitos teóricos e meramente binários que quando aplicados aos seres humanos (multidimensionais) e limitados ao papel biológico do macho e da fêmea humanas constrangem, limitam e aprisionam.

Os seres humanos e a nossa capacidade de questionar e entender o mundo criaram associações entre conceitos teóricos e esotéricos (subjectivos e intangíveis) como coisas intrinsicamente ligadas aos factores biológicos (factuais e tangíveis), por isso que com o processo evolutivo se passou a definir sexo (genital) com género (papel social) como sendo a mesma coisa. Mas não são e o advento da transexualidade e transgeneridade deixa o óbvio mais óbvio ainda. Contudo, numa sociedade onde a romantização da violência, do abuso, da dissonância cognitiva e da indignação selectiva, se percebe (ou ao menos eu percebo assim) que em função de interesses e conveniências individuais e também porque "a pimenta no cu do outro é refresco", grupos de pessoas não se coíbem em reforçar falácias como sendo verdades, com base nos seus sentimentos.

Ou seja sentir sobre a própria cabeça o esoterismo da masculinidade e feminilidade, não legitima papeis de género como condições intransmutáveis e indissociáveis dos genitais.

Deixa desfazer essa afirmação em miúdos: "o facto de você sentir que é femininx ou masculinx não muda as características biológicas do seu corpo, assim como as características biológicas do seu corpo vagina/útero ou pénis/próstata não implicam um género e por conseguinte um papel social ou comportamento que não se possa questionar e alterar em função de factos, vontade própria e habilidades que ultrapassem aquilo que a sociedade em modo de histeria colectiva impõe e reproduz só porque é mais fácil de se manter na zona de conforto do "já visto" ou "daquilo que já conhece, mesmo que seja uma merda".

O machismo literalmente coloca as mulheres (nascidas com vagina) e pessoas femininas numa situação de abuso, medo e resignação em submissão forçada aos homens (nascidos com penis) ou pessoas masculinas, mas claro que homens não querem admitir isso, pois implicaria descer do alto da sua misoginia e admitir os seus erros e perder privilégios masculinos de superioridade, só porque tem um pénis entre as pernas. É muito comum um homem ser chamado de machista e misógino e não querer mais colaborar com uma mulher pois por um lado ele acha que machismo é um mero sentimento que ele "sente que não tem", por outro lado ele não quer ver que não é uma questão de ser boa ou má pessoa e sim de naturalização de comportamentos que como não lhe afectam então não lhe interessam para nada e mulheres que se calem.

Por outro lado, e porque temos que ser JUSTAS/OS, mulheres que se adaptam ao sistema patriarcal e a quem não lhes convém ou não lhes interessa sair da bolha que define papel de mulher na sociedade também suportam e legitimam o machismo desde que o homem as sustente e faça coisas que elas como mulheres entendem como algo que elas não devem fazer só porque têm útero. Sucede que o parasitismo masculino tem superado e tirado total proveito de parte da emancipação feminina, pois os seus abusos machistas como assédio, estupro e outras violências (dentro de um relacionamento ou não) continuam, mesmo que muitas mulheres já não dependam deles financeira, social e culturalmente (apesar de que se reforça a crença dessa dependência como necessidade biológica).

Cada vez mais a interrelação de necessidades diárias é garantida na forma de prestação de serviços seja aqueles considerados como de mulheres ou de homens. Ou seja homens quererem justificar a sua violência misógina porque trocam lâmpadas e pneus ou têm pénis para fecundar, quando muitos homens que não sabem fazer isso e pedem ajuda a outras pessoas. Assim como outros milhares de exemplos que poderiam ser descritos aqui.

O curioso é que excepto e exclusivamente a procriação, tudo na vida se executa com as mãos e se pensa com cérebro e mente daí que, o que tem a ver uma pessoa cozinhar e lavar e cuidar dos filhos com o genital que a pessoa tem?

Cozinheira/o é profissão, lavador/a de pratos é parte das tarefas de quem trabalha no sector da restauração, cuidar de crianças é desde um negócio, a um emprego, a uma prestação de serviços e TODOS ELES SAO REMUNERADOS, daí que isso nada tem a ver com o genital e nem nada tem a ver com os sentimentos.

Da mesma forma que trocar pneus faz parte de serviços prestados em mecânica, trocar lâmpadas faz parte de serviços prestados em electricidade, assim como arranjar portas faz parte do serviço de marcenaria, etc, etc, se você não souber fazer, haverá quem saiba fazer e isso não tem nada a ver com o genital e nem nada a ver com os sentimentos.

Se você souber fazer por si para poupar dinheiro usando o seu tempo e energia MELHOR PARA SI. Mas isso não tem nada a ver com nascer macho ou fêmea ou ter a habilidade de parir e não legitima assédio, abuso, estupro, feminicídio com a desculpa de que homem tem um papel e mulher outro. Nenhum papel implica violência e abuso, mas quando masculinidade e feminilidade que são conceitos teóricos e meramente binários mas são aplicados aos seres humanos como limitações a sua existência pois são definidos como o papel biológico do macho e da fêmea humanas isso só constrange, limitam e aprisiona.

Enquanto isso quem leva vantagem nessa divisão obviamente desigual, quer mantêm-la a todo custo já que "pimenta no cu das outras é refresco".

Quem leu até ao fim diz up. E riam-se com os comentários dos abestalhados que nunca lêem até ao fim e só regurgitam bosta.

#aboliçãodogénero
#morteaopatriarcado
#mulhereslivres
#feminismosim

Sem comentários:

Enviar um comentário